ANO XVII FONE: (16) 3262-7700


Aeroclube de Itápolis: O espírito da aviação vive aqui

Por Folha de Itápolis

Anderson Carlos da Silva - Presidente
Realizou-se no dia 14 de janeiro, a eleição da diretoria que regerá os destinos do ACI – Aeroclube de Itápolis no biênio 2017/2018. Com o novo quadro composto por diretores de gestões anteriores e novos sócios, o Aeroclube projeta o recorrente crescimento no departamento de instrução de vôo e projeta maior envolvimento com o cidadão itapolitano.

Por ocasião do pleito, foi eleito como novo presidente, Anderson Carlos da Silva. Nascido e criado na cidade de Itápolis, Anderson Carlos da Silva, 31 anos, já conta com 12 anos de experiência como gestor no setor de aviação. É formado em Administração e desde 2015 exerce o cargo de Tesoureiro na diretoria do ACI.
Membros da diretoria e
integrantes do quadro de colaboradores

A nova Diretoria tem o compromisso de dar continuidade ao trabalho de instrução de voo, mantendo a marca de 500 horas mensais, com as 25 aeronaves da frota e o elevado padrão de ensino, tanto para os pilotos que desejam aprender pelo prazer de voar, como aos que se dedicarão na atividade profissionalmente.

Diretoria 2017/2018

Presidente: Anderson Carlos da Silva;
Vice-Presidente: Marcelo Aparecido Caspani;
Tesoureiro: Janete Aparecida de Luca;
Vice-tesoureiro: Gustavo Dotto Martucci;
Diretor Aerodesportivo: Lucas Dresdi Delcaro;
Diretor de Volovelismo: Murilo Inacio Garcia;
Diretor de Aeromodelismo: Carlos Ananias do Amaral;
Diretor de Instrução: Marcelo Valério;
Diretor Técnico: Josué de Andrade;
Diretor de Material: Alexandre Piza;
Diretor Social: Alessandro Guirro;
Diretor de Segurança de Vôo: Leonardo Parma;
Secretário Geral: Alessandra Françoso.
Conselho Fiscal: Mateus Messias de Andrade Filho;
Laudo da Silva;
Antonio Andreoli.
Suplentes: Márcio Luiz do Prado;
Jaqueline Vieira dos Santos.
Efetivos: Andréia Piza;
Comissão de Justiça: João Bareli;
Vera Lucia de Oliveira Andrade;
João Paulo Amado.

Ex-Presidente

Deixa a presidência, Josué de Andrade. Ele é nascido na cidade de Itápolis, iniciou sua carreira no ACI tornado-se comandante de linha aérea e, durante toda sua carreira, dedicou-se ativamente à entidade. Sob sua presidência, o Aeroclube conseguiu aumentar a quantidade de aviões e destacar a qualidade da instrução no cenário nacional.

“Nestes anos em que me dediquei à administração do Aeroclube de Itápolis, dei continuidade ao trabalho dos gestores anteriores e, com o empenho de todos, transformamos nosso Aeroclube em grande destaque nacional na formação de pilotos”, explana Josué. Ele conta que, com a criação da ANAC (Agência Nacional de Aviação Civil), foi necessário adaptar-se à nova realidade com regras mais rígidas e responsabilidade civil rigorosa, seguindo a tendência mundial dos países signatários da Organização da Aviação Civil Internacional. Sendo portanto, de extrema importância a criação de uma gestão de negócios e manter-se ao mesmo tempo, o ambiente de clube de aviação. “Com esta nova proa, conseguimos nos manter no cenário aeronáutico, formando pilotos profissionais e aerodesportivos. Novos departamentos foram criados para melhorar o gerenciamento da segurança operacional e controle de qualidade. Para isso, foram contratados profissionais específicos para as diversas áreas e implantado o sistema operacional Flight Center que controla todo o movimento de vôos e administrativo do Aeroclube”, comenta o ex-presidente.

Infra-estrutura

O ACI manteve nos últimos anos o crescimento no setor, mantendo 500 horas voadas mensalmente na instrução de pilotos. Com destaque para o curso de planadores que iniciou suas atividades há apenas três anos e hoje realiza 800 voos por ano. A equipe de 50 colaboradores proporciona o funcionamento da instituição que, mesmo com gestão profissional e um número tão grande de horas voadas, consegue manter o clima de clube de aviadores.

Em 2016, o Aeroclube de Itápolis celebrou 75 anos de existência. Proporcionou ao público, diversos eventos. O Itápolis Air Show, por exemplo, reuniu amigos do ACI e suas aeronaves, inclusive, a realização já se consagrou como parte do calendário da aviação. O I Troféu Alberto Bertelli de Acrobacia Aérea, um campeonato que inovou o cenário e levou o nome de Itápolis de norte a sul do país. Também o Encontro de Aeromodelismo, com convidados de vários Estados trazendo turismo à cidade. Além dos eventos sediados no Aeroclube, como o Encontro de Fuscas e Carros Antigos. Também competições de ciclismo, demonstrando que, além do espaço para ensinar aspirantes a pilotos, o ACI é fundamentalmente um ambiente de encontro da população para o entretenimento.

Para os próximos anos, destacam-se as atividades para a população de Itápolis. Trazendo a sociedade para dentro do Aeroclube, os eventos ganharão força. Serão destacadas as realizações: Itápolis Air Show 2017, Encontro de Carros Antigos, Encontro de Aeromodelismo, Aniversário do Aeroclube, além de novidades como Arrancada de Carros, Dia do Aviador, entre outros.

Já nas primeiras semanas de janeiro, o Aeroclube comprou um novo avião, modelo CessnaSkyhawk, o PR-ITP que, desde o nome, já faz referência à cidade e será utilizado exclusivamente para voos panorâmicos e voos dos associados. Durante toda a semana, incluindo os finais de semana, os aviões do ACI ficam disponíveis para os voos panorâmicos. Em cerca de 20 minutos de voo, os passageiros podem conhecer Itápolis com vista de cima, sobrevoar suas residências e até mesmo visitar cidades vizinhas.

“Sabemos que não basta construir, precisa-se de manutenção, reformas, zelo com o patrimônio. Foi o que fizemos nos últimos anos, arregaçamos as mangas e reformamos tudo, incluindo a pista de pouso onde, através da parceria entre o ACI e duas empresas, foram investidos nas reformas do asfalto, balizamento noturno e pintura, aproximadamente R$ 1 milhão de reais. Hoje podemos receber aeronaves a jato de médio porte em qualquer horário, inclusive em operação de misericórdia para transportar doentes, feridos graves e órgãos para os grandes centros”, diz Josué de Andrade que continua; “A frota do Aeroclube de Itápolis passou por revitalização, transformando os aviões Aeroboero e Paulistinha nos mais conservados do Brasil, proporcionando segurança e boa qualidade de ensino aos nossos alunos”.

Em 2016, nasceu a ‘Esquadrilha Canarinho’ formada por três aviões Paulistinha nas cores originais que encantam o público por onde passam, carregando a bandeira de Itápolis que se tornou conhecida através da aviação.

“No dia 14 de janeiro, realizou-se a eleição da nova diretoria para o próximo biênio e, com sentimento de dever cumprido, deixo a presidência de um dos maiores aeroclubes do Brasil e da minha segunda casa, onde fui criado e formado piloto profissional contando com a ajuda de grandes pessoas que já partiram, mas, que sempre serão lembradas na história do Aeroclube de Itápolis; Osvaldo Stéfano Casulo, Romeu Aparecido Butarello, Otacílio Lopes, Daurio Fernando Moro. Também o imprescindível apoio do meu grande amigo EdmirAntonio Gonçalves, atual prefeito de Itápolis. Continuarei ajudando e incentivando o nosso Aeroclube. Agradeço minha equipe pelo tempo que trabalhamos juntos e desejo uma ótima administração para nova diretoria, seguindo em frente para consolidar Itápolis como a Capital da Aviação Civil Brasileira”, conclui Josué.

Desenvolvimento nos últimos quatro anos
Durante a administração 2013/2016, foram reformadas e retornaram ao vôo, as 25 aeronaves na frota.
Obras realizadas:
- Recapeamento da pista do aeroporto;
- Reforma e ampliação do bar do Aeroclube;
- Reforma do Hangar 1;
- Reforma da piscina e quadra de esportes.

Esquadrilha Canarinho


Criada em 2016, formada por pilotos e instrutores do ACI, utiliza 3 aviões P56C Paulistinha, avião histórico e carro chefe durante muitas décadas na instrução de vôo. Seu objetivo é reviver a paixão pela aviação.

Aeroclube no cenário brasileiro

Fundado em 1941, o Aeroclube de Itápolis se consagra hoje, como um dos maiores do país. Nos anos de 2015 e 2016, enfrentando a crise que abalou todo o Brasil, o ACI manteve suas marcas de crescimento, voando neste ano, mais de 6.000 mil horas. Todos os cursos para a formação profissional de um aviador são encontrados no ACI, assim como as práticas desportivas.

O Aeroclube, mesmo com as mudanças de gestão profissional e preocupação com a segurança de vôo, mantêm a tradição e o mesmo espírito desde sua criação.

Enquanto diversos aeroclubes se definham sob rico, inclusive, de fechar enfrentando problemas diversos, desde a falta de lastro frente à competitividade, questões políticas diversas, naves sucateadas, enfim, fragilizados, o Aeroclube de Itápolis cresce, cujo diferencial de destaque entre outros itens, é o seu investimento em formação profissional, tornando-se uma escola de aviação referência em todo o Brasil.

Bar

O Bar do Aeroclube está aberto todos os dias da semana, proporcionando um espaço de lazer, onde amigos e famílias podem apreciar a belíssima vista, aguardando para o voo panorâmico ou assistindo os pousos e decolagens dos alunos, no cenário: o por-do-sol mais bonito da cidade, que pode ser visto do deck ou lá de cima, voando.

O espaço do Aeroclube é da cidade e todos têm direito de usufruí-lo.

Paulistinha

Considerado a maior lenda da aviação brasileira e o maior treinador de pilotos do país, o famoso Paulistinha é ícone do Aeroclube de Itápolis e integra orgulhosamente a ‘Esquadrilha Canarinho’. A equipe de pilotos é formada por Josué de Andrade, Marcelo Valério e Lucas Delcaro.

O objetivo da ‘Esquadrilha Canarinho’ é incentivar e promover a aviação civil, revelar que há modalidades desportivas nesse meio e resgatar o sentimento clássico do Paulistinha que é o treinador primário mais querido dos aviadores.

“Os alunos do Aeroclube de Itápolis têm um sentimento especial pelo querido Paulistinha que é um avião extremamente dócil e simples de voar. Apenas exige atenção nos procedimentos de pouso e decolagem. Os aviões paulistinha daqui formaram milhares de pilotos desde a fundação do Aeroclube”, afirma Lucas Delcaro, instrutor de vôo.

O treinamento é feito no Paulistinha com as adaptações do curso em função da falta de rádio. “As particularidades do querido Paulistinha é que sua partida é feita na mão, ele faz táxi em ‘S’ e não possui rádio, tudo é feito com sinal visual. O vôo é bem prático, porém, demanda um pouco mais de precisão. A teoria do vôo é sempre a mesma, independente da aeronave que se voa, o aluno só deve se adaptar às características do equipamento”, explica Delcaro.

As aeronaves utilizadas pela ‘Esquadrilha Canarinho’ são formadas por três Paulistinhas: PP-GVN, PP-HMS e PP-HLH. No Aeroclube de Itápolis, os pilotos mantêm um treinamento semanal, já as apresentações duram em média 15 minutos.

Mesmo acompanhando os avanços tecnológicos do setor, o Aeroclube de Itápolis não deixa de prezar pelas tradições, faz questão de manter essa aviação clássica funcionando e integrando a ‘Esquadrilha Canarinho’.

O querido Paulistinha, em vôos de esquadrilha, ensina a ter um nível de comprometimento com os outros colegas que estão voando e saber valorizar o trabalho em equipe, devido à falta de comunicação via rádio. É uma esquadrilha com um encantamento especial.

Venha para o ACI. O espírito da aviação vive aqui.

Mais detalhes, consulte o site do Aeroclube de Itápolis: http://www.aci.com.br/
ÚLTIMAS NOTÍCIAS
Carregando...
VER MAIS
EMPREENDEDORISMO
Carregando...
VER MAIS
EVENTOS
Carregando...
VER MAIS
HOMENAGENS
Carregando...
VER MAIS