ANO XVII FONE: (16) 3262-7700


Cada cidadão é um patrão e não o contrário

Foto: Câmara de Itápolis
A Câmara Municipal de Itápolis viveu recentemente raros momentos. Por duas sessões seguidas, uma parcela da população tomou os espaços das galerias por completo, cujo intuito era acompanhar a apreciação e votação de projetos polêmicos enviados pelo Poder Executivo. Foram três apreciações e aprovações pelos nobres edis na sessão da noite de 22 de fevereiro, sendo que dois desses projetos foram submetidos à votação em dois turnos, o que aconteceria na noite de 24 de fevereiro, ocasião em que somente um deles foi votado e aprovado. O segundo, ante o grande tumulto, não foi votado. A presidência da casa houve por bem, antecipar o encerramento da sessão. O famigerado projeto, diante da intempestividade e pressão popular, foi retirado da pauta a pedido do Executivo.

Além da criação de mais seis secretarias com respectivos adjuntos, as matérias previam a criação de mais dois cargos de adjunto. Inclusive, foi exibida aos presentes da primeira sessão, cópia de um resumo do impacto financeiro a partir da criação e manutenção de mais seis secretários e respectivos adjuntos. “Representa uma diferença de R$ 1.122.324,41 de despesas a mais aos cofres públicos no ano”, dizia o documento apresentado pela vereadora Edmércia Micheletti.

Fiscalizar

Muito se falou a respeito do ocorrido, inclusive, comentou-se que as pessoas que ali estavam teriam vínculo direto com as matérias em plenário e que seriam prejudicadas com as aprovações. O quadro, no entanto, não dirimi o fato de que foram matérias sob aprovação de um grupo de vereadores entre os quais, nenhum foi até a tribuna explanar a respeito das possíveis vantagens que tais medidas, neste momento delicado, gerariam ao município, também sobre à real necessidade à luz da obediência ao princípio de economicidade.

O bom seria se, ao invés de poucos envolvidos diretamente, toda a população atentasse e lutasse contra qualquer contrariedade ou possível desmando para com a coisa pública, afinal, cada cidadão é um patrão e não o contrário. Fiscalizar em uma democracia é perfeitamente salutar e necessário.

Marcadores: , , ,

ÚLTIMAS NOTÍCIAS
Carregando...
VER MAIS
EMPREENDEDORISMO
Carregando...
VER MAIS
EVENTOS
Carregando...
VER MAIS
HOMENAGENS
Carregando...
VER MAIS